"O Evangelho da Natureza"

Discorrer sobre os mistérios do Novo Evangelho, é trazer luz sobre pungentes questões que dizem respeito, de forma objetiva, acima de tudo à humanidade em seu próprio nível. É elucidar a natureza e as correlações de dois princípios terciárias, o Espírito Santo e a Criação, e é deitar as bases de um inédito humanismo espiritual. É aprofundar e universalizar, em definitivo, aos chamados Mistérios Marianos. Em termos práticos, é reconhecer na Natureza o fundo universal que possui, em termos físico, psicológico, mental e espiritual, além, de culturalmente, conferir à Ecologia a importância que merece, a partir da identificação de uma dimensão maior a ela relacionada, enquanto parte divina. É, enfim, ancorar no foro humano as maiores realizações possíveis, em temos de saúde, amor, ciência e sabedoria. O Evangelho da Natureza é a grande chave revelada para o resgate da magia e para o reencantamento da Terra.

APRESENTAÇÃO ...... HOME ......INICIAL......EDITORA.......VIDEOS.......GRUPOS

sábado, 29 de maio de 2010

O Evangelho da Natureza: um novo Mandamento


"Amar a Criação co­­mo um reflexo da própria alma" é o novo Mandamento que vem completar os dois anteriores resumindos por Jesus Cristo como "amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a sí mesmo".
A Natureza Criada é a base para um Novo Evangelho, es­pi­ritualista e naturis­ta, ins­pi­rado tanto nos dons do Espírito, como nas be­­lezas naturais que sugerem as glórias do Universo e de seu Criador.
É chegada a hora da humanidade enxergar na Criação o fundamento de sua felicidade eterna, os alicerces do Templo de Deus.
Amar a Natureza não é apenas um gesto sentimental, mas reflete um estado de espírito integrado ao Todo, e particularmente voltado para o futuro. Em nossos dias, tal coisa se afirma como um imperativo ético e existencial no mais amplo sentido do termo, inclusive em favor da sobrevivência da Terra.
A primeira preocupação do Evangelho da Vida, é apontar para o gozo da existência na Criação. A Natureza é vista como um ambiente de per­­fei­ção, saúde e liberdade, integrando a Verdade divina.
Quando o homem é capaz de amar e respeitar a Natureza, ele cresce espiritualmente, pois a Criação é divina em suas origens.
Eis que o Senhor Maitreya proclama o seu novo Evangelho de Júbilo natural:

Rejubilai-vos com cada montanha da terra.
Rejubilai-vos com cada fonte de água.
Rejubilai-vos com a canção de vento.
Rejubilai-vos com o poder do fogo.
Rejubilai-vos com cada pequena flor.
Rejubilai-vos com a tela de estrelas.
Rejubilai-vos com a magia da Lua.
Rejubilai-vos com o esplendor do Sol.

(A seqüência destas sentenças, ditadas pelo Espírito santo, obedece a uma estrutura natural e lógica, ascendente e também simbólica, assim como cada um de seus elementos, os quais correspondem a uma ordem cosmológica.)
Este é portanto um Evangelho de Júbilo, que ensina a olhar para a Criação e a gozar de sua presença. A felicidade é simples, e ela está em grande parte na contemplação das incomparáveis obras de Arte suprema que é a Criação... Obras estas que de resto apresentas mui­tas dimen­sões, para a saúde física, emocional e mental.

Da obra O Evangelho da Natureza, de Luís A. W. Salvi, IBRASA

Nenhum comentário:

Postar um comentário